BLOG

Fundações e Estruturas

COMO AVALIAR O DESEMPENHO DAS FUNDAÇÕES

COMO AVALIAR O DESEMPENHO DAS FUNDAÇÕES

Por Eng, Carolina Paese, 6 de setembro de 2017.

Como análise imprescindível na área da construção civil, o monitoramento de estruturas tem como finalidade medir os deslocamentos resultantes da interação solo-estrutura durante o carregamento da obra ou na ocorrência de fatores externos, como escavações próximas ou alteração do uso da edificação, que possam prejudicar seu desempenho.

A fundação tem a função de transmitir as cargas da estrutura para o solo. Dessa maneira, o comportamento da edificação depende, dentre outros fatores, das características do solo no terreno e no entorno e do tipo e carregamento dos elementos estruturais das fundações. As normas vigentes especificam os ensaios que devem ser realizados para que possam ser identificados precocemente os elementos defeituosos e as situações de risco.

Segundo a NBR 6.122:2010, por recalque entende-se o “movimento vertical descendente de um elemento estrutural. Convenciona-se representar o recalque com o sinal positivo”. A sua medição é um recurso para a observação do comportamento da obra. Rebello (2008) afirma que “o recalque em si pode não resultar em danos às edificações”, desde que seja uniforme em todos os pontos. O recalque diferencial entre os apoios pode impor, conforme sua intensidade, um momento fletor adicional não previsto à estrutura, causando-lhe dano.

Temporariamente, devido a fatores externos como escavações profundas e rebaixamento do lençol freático, podem ocorrer maiores velocidades de recalques das fundações nas edificações vizinhas. Entretanto, a evolução dessas e dos recalques diferenciais deve ser controlada, mantendo os valores dentro de um parâmetro aceitável para que não causem danos a estrutura. Caso as deformações superem a capacidade resistente dos elementos de vedação ou estruturais, fissuras podem aparecer, chegando a casos em que é necessário o reforço estrutural da edificação para evitar ruína parcial ou total.

Neste caso, o ideal seria, que durante a vistoria de vizinhos ou o pré-projeto da obra, fosse realizada um monitoramento preventivo das edificações adjacentes à obra, por meio de métodos geodésicos, como apresentado na NBR 6.122:2010. Além desta norma, o acompanhamento das estruturas adjacentes a novas obras se faz necessário pelas mesmas normas da vistoria de vizinhança.

Segundo Corrêa (2012) e Dalazoana (2013), o monitoramento pressupõe:

  • Observações de alta precisão (alto grau de acuracidade);
  • Repetibilidade das observações ao longo do tempo;
  • Integração entre observações de diferentes tipos, obtidas a partir de diferentes equipamentos;
  • Análise estatística dos dados adquiridos.

Os métodos de monitoramento são classificados em geodésicos (detectar primeiramente movimentos absolutos) e geotécnicos (detectar primeiramente movimentos relativos).

Os métodos de monitoramento geodésico visam encontrar alterações de coordenadas planimétricas e/ou altimétricas, de uma série de leituras, de pontos-objetos, em determinado período de tempo. Os valores encontrados indicam se houve alterações nos valores das coordenadas, chamado de deslocamento (CÔRREA, 2012).

Estes devem ser mantidos durante a execução da obra, com a finalidade de comprovar o adequado desempenho das fundações e identificar precocemente comportamentos inadequados. Os tipos de monitoramento se completam de uma forma geral, sendo os mais comuns:

  • Monitoramento de verticalidade: tem como objetivo geral verificar a inclinação da estrutura avaliada antes, durante e depois do início das obras;
  • Monitoramento de contenções: tem como objetivo geral verificar os deslocamentos de cortinas e a sua direção frente a escavações;
  • Monitoramento de recalques: tem como objetivo geral verificar o desempenho das fundações antes, durante e depois do início das obras.

Além da superestrutura de edifícios, estruturas de contenções podem ser monitoradas com o propósito de detectar movimentações acima do esperado nas estruturas avaliadas, possibilitando a detecção de variações de forma ocorridas na estrutura, de maneira que sejam antecipadas ações corretivas se necessárias.

outros Posts

Daher - Projeto do Parque Urbano da Orla do Guaíba tem repercussão internacional

Projeto do Parque Urbano da Orla do Guaíba tem repercussão internacional

Em sua edição 26.6, a revista inglesa Premier Construction fez uma matéria sobre o Parque...
Daher - Prêmio Francisco de Assis Basílio

Prêmio Francisco de Assis Basílio

Eng. Cesar Zanchi Daher (Dir.) recebe Prêmio do Diretor de Relações Institucionais do Ibracon, Prof....
Daher - MOVIMENTO DE FUNDAÇÕES

MOVIMENTO DE FUNDAÇÕES

Por Eng. Carolina Paese, 14 de setembro de 2017. Os efeitos da movimentação de terra...
Daher - A IMPORTÂNCIA DA VISTORIA DE VIZINHANÇA

A IMPORTÂNCIA DA VISTORIA DE VIZINHANÇA

Por Eng. Carolina Paese, 31 de agosto de 2017 A vistoria de vizinhança tem por...
Daher - COMO AVALIAR A RESISTÊNCIA DA ARGAMASSA DE EMBOÇO?

COMO AVALIAR A RESISTÊNCIA DA ARGAMASSA DE EMBOÇO?

Por Eng. Marina Röse,  31 de julho de 2017 Após a aplicação das argamassas, as...
Daher - COMPARAÇÃO ENTRE SISTEMAS DE APLICAÇÃO DE ARGAMASSA (RUP)

COMPARAÇÃO ENTRE SISTEMAS DE APLICAÇÃO DE ARGAMASSA (RUP)

Por Eng. Marina Röse,  10 de julho de 2017 Os canteiros de obra necessitam de...